Separação correta do lixo



Mesmo com bons hábitos de consumo dentro de casa, produzir lixo é inevitável. Em condomínios, o volume de detritos gerados diariamente é ainda maior. Por isso, é muito importante que os moradores se empenhem para fazer o descarte correto do lixo.


Separe o lixo por tipo:

Todos os cidadãos têm a obrigação de realizar a separação do lixo para fins de coleta por parte da prefeitura, uma vez que cada espécie de resíduo tem sua coleta e destinação separada. Organizar o lixo antes de descartá-lo é essencial. Sendo assim, o primeiro passo é separar tudo conforme seu tipo (Reciclável, Orgânico, entre outros). Lembre-se de embalar o lixo corretamente, evitando vazamentos e garantindo a manipulação segura dos sacos plásticos pelos recicladores.


Lixeiras para coleta seletiva

O condomínio deve dispor de locais adequados para o depósito do lixo. Geralmente as lixeiras/contentores ficam disponibilizadas em áreas específicas, como no térreo, garagem ou próximos aos acessos em direção para a rua e as lixeiras externas.

O ideal é que existam lixeiras separadas, conforme tipo de detritos, para a coleta seletiva.

Dias de coleta

Cada região da cidade apresenta horários e dias diferentes para coleta de cada tipo de resíduo (Orgânico e Reciclável). Verifique esta informação no site da prefeitura ou com seu zelador. Evite deixar sacos de lixo na rua, fora do dia de coleta, a fim de minimizar o despejo/desvio de lixo em locais públicos.


Cuidado com o lixo especial e comercial

Resíduos especiais, tais como infectantes, eletrônicos e/ou oriundo de atividades comerciais devem ser tratados separadamente de acordo com legislação específica. A prefeitura de Curitiba estabelece que a coleta pública para fins domésticos pode recolher até 600 litros de resíduos gerados por cada imóvel por semana, considerando qualquer volume excedente como oriundo de atividade específica. Em casos das atividades comerciais, as empresas em lojas e conjuntos comerciais devem gerir individualmente o descarte correto do lixo especial ou excedente através da contratação de empresa de coleta especial particular, conforme exigências da vigilância sanitária. Estas recomendações são sancionadas com o propósito de regularizar as empresas para obtenção da licença sanitária do negócio praticado.


Não despeje óleo de cozinha e lixo pelo ralo

Um dos principais problemas hidráulicos causados no condomínio se dá pelo despejo de óleo de cozinha pelo ralo da pia ou pelo descarte de lixo pela descarga do banheiro dos apartamentos. Estas atitudes além de resultarem na obstrução e sobrecarga das tubulações, contribui para a contaminação de fontes de água, tais como rios e encostas. Após uso do óleo de fritura, certifique-se de separá-lo em garrafas com tampa e destiná-lo a coleta do lixo orgânico ou terminais de coleta localizados nas ruas da cidadania e terminais de ônibus. Papel higiênico, fraldas, absorventes e preservativos devem ser descartados junto com o lixo comum.


Cuidado com lâmpadas, pilhas, lixo eletrônico e medicamentos

Apesar dos eletrônicos possuírem boa parte de seus componentes formados por metal e plástico, o lixo eletrônico não pode ser encaminhado diretamente para a coleta de lixo reciclável pública. O tratamento do lixo eletrônico deve ser realizado preferencialmente por cooperativas e empresas especificas para garantir a logística reversa do material. Existem no mercado empresas que realizam a coleta gratuita destes equipamentos. Cuidado redobrado com medicamentos, lâmpadas fluorescentes e pilhas, os quais são compostos por materiais nocivos a saúde e ao meio ambiente. Postos de coleta em supermercados, farmácias e lojas são comuns na recepção destes materiais. Vamos colaborar!