Coronavírus e os condomínios



Neste momento de muita precaução e com grande concentração de pessoas, os condomínios são parte importante na força-tarefa no combate à disseminação do novo Coronavírus (COVID-19).


Com as orientações do Ministério da Saúde para que empresas adotem o home office para boa parte de seus funcionários, escolas entrem em recesso e idosos evitem sair de casa, os condomínios irão resguardar as famílias e todas as medidas internas possíveis para auxiliar no controle e avanço da doença devem ser tomadas.


Reuniões e assembleias não devem ser convocadas neste momento. Nas áreas comuns, por exemplo, dispensers de álcool em gel devem ser instalados em áreas estratégicas, como porta dos elevadores, portarias e acessos principais. Caso o produto não seja encontrado, diante da alta procura, pode ser substituído pelo procedimento de lavar as mãos com água e sabão.


A atenção deve ser redobrada quanto à limpeza, especialmente em maçanetas, botoeiras, corrimãos, elevadores e halls comuns. Os funcionários que exercem esse trabalho devem usar equipamentos de proteção como luvas.


Outras importantes medidas que devem ser executadas para a prevenção do coronavírus:



Áreas Comuns:


- Manter os ambientes das áreas comuns bem arejados com ventilação natural (portas e janelas abertas).

- Manter superfícies e objetos que são tocados com frequência desinfetados (maçanetas, botões de elevadores, corrimãos das escadas e rampas).

- Evitar elevadores lotados (a Organização Mundial da Saúde recomenda que famílias circulem sozinhas pelos elevadores). Peça paciência aos moradores para o uso consciente do elevador, mas com delicadeza e sem preconceitos.

- Ao tossir ou espirrar, cobrir com o cotovelo ou com um lenço de papel a boca e o nariz e, após, jogar o papel no lixo.

- Caso esteja doente, evitar circular pelos corredores e áreas de comum acesso.

- Cuidado com o manuseio do lixo. Peça aos moradores que fechem bem os sacos e oriente a equipe de limpeza para o uso obrigatório de luvas.

- Abasteça os banheiros das áreas comuns com álcool em gel, sabonete e papel toalha, mas recomende que os moradores evitem utilizar o local.

- As garagens são, na maioria dos casos, fechadas e a circulação de pessoas deve ser apenas em casos de real necessidade.

- Montar um fluxo de atendimento às entregas, para que o contato corporal na portaria entre porteiros, moradores e entregadores seja o menor possível e que aconteça de forma organizada para evitar grande fluxo.

- Evite o uso das áreas comuns de lazer, tais como salão de festas, gourmet, piscinas, quadras, dentre outras. Festas, recreações e eventos presenciais devem ser evitados.

- Em recepções, minimize a circulação de mercadorias, cartões de acesso e demais documentos. Determine um perímetro seguro entre a recepção e os visitantes.

- Cuidado redobrado com visitantes neste período. Infelizmente, já existem ocorrências de assaltos de grupos fazendo se passarem por "fiscais no combate ao coronavírus".



Para os síndicos:


- Não convocar novas reuniões e assembleias.

- Evite, nesse momento, a realização de benfeitorias, contratações de serviços não-emergenciais e pedidos de pagamentos extras, buscando prever, no mínimo, três dias de antecedência para pagamentos fora da rotina.

- Evite a locação dos salões de festas, churrasqueiras, espaços gourmet, entre outros.

- Oriente e dê assistência aos funcionários do condomínio, especialmente os com mais de 60 anos.



Para os moradores:


- Evitem circular nas áreas comuns do condomínio.

- Cuidado extra com as crianças. Evitar o contato com idosos ao máximo.

- Ao chegar em casa, lavar as mãos com água e sabão.

- Fazer o uso do álcool em gel, mas preferencialmente lave as mãos com água e sabão.

- Utilizar produtos de limpeza com cloro para higienização de superfícies e pisos.

- Limpar maçanetas das portas do apartamento com álcool sempre que alguém chegar.

- Ao chegar em casa da rua, tome banho e coloque a roupa para lavar com água e sabão, pois as vestimentas conduzem o vírus para a casa.

- Utilize máscaras, luvas, álcool em gel, e demais produtos de maneira preventiva, racional e solidária. Evite a compra sem necessidade e estoque destes produtos. Lembre-se que os mesmos estão em falta no mercado, atingindo principalmente clínicas, hospitais, médicos e enfermeiros na luta contra o coronavírus.

- Evite transporte público no horário de pico.

- No uso de táxi e transportes de aplicativo, higienize suas mãos após a corrida.

- Os moradores que não puderem evitar viagens e circulação em aeroportos devem redobrar as recomendações, evitando circular nas áreas comuns, ampliando a higiene e evitando o contato com idosos por, no mínimo, sete dias.

- Com as crianças em casa, será importante criar uma rotina de atividades para que elas enfrentem esse período. Evite brincar em ambientes comuns.

- Oriente as crianças, especialmente sobre a higienização e o contato com idosos.

- Pais poderão usar a criatividade envolvendo as crianças em tarefas domésticas e didáticas para que elas permaneçam ativas mesmo dentro dos apartamentos.

- Estimule o contato com os avós através do uso do telefone, das mensagens de texto, áudio e vídeos, assim eles não se sentirão sozinhos, mas continuarão resguardados sem o contato corporal.

- Economize água, luz e gás nas unidades condominiais. Neste período de isolamento em casa, é natural que o consumo nos apartamentos e casas aumente. Lembre-se que a Sanepar adotou recentemente medidas preventivas de rodizio de abastecimento em função do alto consumo do período.

- Todos são responsáveis pelo controle da pandemia. Se estiver doente, informe a administração do condomínio e adote o pleno isolamento por, no mínimo, 14 dias.



Cuidados com idosos e pessoas do grupo de risco:

- As recomendações em relação aos cuidados com os idosos são de extrema importância. O ideal é que eles permaneçam em isolamento por todo o período do pico da pandemia no Brasil. Isso significa que os idosos (moradores acima de 60 anos) devem permanecer dentro da unidade, evitando ao máximo a circulação. Eles não devem receber visitas, mas todos podem colaborar com o bem-estar dos vizinhos.

- Familiares devem fazer contato por telefone e evitar visitas, especialmente das crianças. - Para que eles não precisem sair para supermercados e farmácias, os familiares podem providenciar o abastecimento.

- Porteiros, síndicos e vizinhos podem colaborar, providenciando maior limpeza no hall dos apartamentos dos idosos, manter o contato através do interfone para saber como estão se sentindo, e orientá-los. Assim, eles se sentirão acolhidos e menos sozinhos.

- No caso de entregas, a portaria, quando viável ou com autorização da administração interna, pode auxiliar levando o pedido até o apartamento, mas evitando o contato corporal com o idoso e tomando as providências de higiene antes da aproximação.

- Os cuidados devem ser extensivos aos moradores que apresentam problemas de saúde como diabetes, problemas cardíacos, pacientes em tratamento de câncer, pessoas com problemas respiratórios e hipertensão.

- Manter o afastamento social é crucial, mas não se deve esquecer de ofertar ajuda e manter o contato com os idosos através do telefone para evitar quadros de depressão e mantê-los assistidos em outras necessidades e/ou emergências.